Opinião Livro

Face Negra, Elizabete Cruz


Título Original: Face Negra
Autor: Elizabete Cruz
Páginas: 360
ISBN: 9789899848306


Sinopse

Esta podia ser a história de uma menina amorosa e inocente marcada pelo passado. Mas não, esta é a história de Daniela, a rapariga que sobreviveu a esse passado e se tornou naquilo que nunca pensaria ser, não olhando a meios para atingir os fins. Para tal conta com a ajuda do seu bizarro melhor amigo, que daria tudo para dormir com ela, e que é bem mais do que aparenta ser. E ainda tem Dyre, o seu primeiro amor e actual namorado, que definitivamente não a conhece.
Ela julgava-se forte, perspicaz e dona do seu destino. Mas o destino provar-lhe-á que estava errada. Alguém com tantos segredos, artimanhas, rancor e maldade dentro de si não poderá ter um final feliz. E o reaparecimento de um fantasma do seu passado levá-la-á a fazer algo extremo e irremediável, fazendo-a perceber que os fins nem sempre justificam os meios.
Conheçam Daniela, a jovem e inocente estudante de Medicina, que encerra em si uma terrível face negra.
“Um dia vais acordar, e não vais ter nada além de arrependimentos.”



Quero agradecer à autora, Elizabete Cruz, por me ter dado a oportunidade de ler este livro. Também tenho de agradecer à Catarina Abreu do Páginas Encadernadas e à Mónica Silva do A Thousand Lives que graças às suas recomendações no Goodreads quis ler esta história.

A sinopse é de deixar qualquer pessoa curiosa, por isso, no início já estava com algumas ideias do que poderia ser a “face negra” da jovem Daniela. Quando me embrenhei pelas palavras da Elizabete, descobri uma jovem quase a fazer os 18 anos que depois do carinho e lar que encontrou numa instituição, tem de conseguir suportar o peso do mundo sozinha assim que se tornar adulta. Se o seu mundo foi abalado na infância é tempo de não deixar o passado comandar o futuro e lutar com todas as armas para seguir todos os seus objectivos. Objectivos esses que não olha a meios para conseguir atingi-los. 


Os dois irmãos mais novos e o curso de medicina parecem ser os factores motivacionais para fazer de Daniela a rapariga que se tornou aos 21 anos. É já com esta idade que entendemos as suas frustrações, anseios, medos e as motivações que a acompanham. Se conseguiu construir uma armadura de ferro para o mundo exterior tendo a sua vida bem estipulada, nada fazia prever que as situações fugissem ao seu controlo e tivesse que tomar medidas extremas. É uma personagem fria e insensível que não tem consciência que os seus actos têm consequências. Quando confrontada com a sua realidade é aí que se põe à prova e mostra do que é capaz. Um fantasma do passado e uma ex-namorada do melhor amigo parecem ser as frentes que tem de enfrentar.


Mas também conhecemos um pouco do lado humano da Daniela. É com Dyre, o primeiro amor, Marco, o companheiro de casa, e a irmã Margarida que permite mostrar-nos essa faceta. 
Dyre cativou-me porque conseguia lidar com a Daniela à sua maneira, não a pressionava e soube aceitar a sua vida. Inicialmente não a julgou mas demonstrou em todas as ocasiões um lado sensível para com as atitudes da ex-namorada. Este acabou por conseguir trazer o melhor dela à tona. 
Já Marco, apesar do lado oculto da colega, é o que se pode chamar um verdadeiro amigo. Pode não aceitar as suas escolhas mas não a condena, apoia no que pode e aí tenho de discordar com o “carinho” que muitas leitoras manifestaram por esta personagem. É realmente a personagem mais engraçada mas acho que falhou em alguns aspectos pois não podemos correr todos os riscos pelos melhores amigos (quem leu sabe do que falo). A própria Daniela não teve quaisquer problemas em “abandoná-lo” por duas vezes, não digo que merecia o mesmo mas certamente não merecia que o melhor amigo quisesse pagar pelos seus erros. 
Com a Margarida, irmã mais nova com Síndrome de Down, espelhava a necessidade de a proteger e o carinho entre irmãos. Já com o irmão Tomás a história era outra, este sabia o que a irmã fazia e não conseguia aceitar, ignorá-la era o melhor remédio para a vergonha que sentia. Achei esta personagem muito interessante, é o espelho da revolta pois sentia-se duplamente abandonado e desamparado. E se a Daniela quisesse tanto dar-lhe uma vida melhor possivelmente teria conseguido e simplesmente nada fez para melhorar a relação.


Será que vale realmente a pena passar por cima de tudo e todos para conseguir os nossos objectivos? Ou será que vale a pena trilhar um caminho que por muitos é apelidado de imoral mas fazê-lo sem prejudicar ninguém? A parte final do livro é esclarecedora, e apesar de gostar finais felizes, neste penso que o merecido é devido e aquele não devia de ter sido o verdadeiro final.

Gostei da história pelo seu dinamismo, os diálogos e as personagens estão bem construídos e descritos, e adorei as descrições sobre o Porto e a vida dos estudantes (fez-me lembrar como é em Lisboa). Já a capa, inicialmente quando andava a deambular por outros blogs não captou em nada a minha atenção, porém uma vez lido, a capa faz todo o sentido neste livro. Parabéns Elizabete :)


Citação:

"Tem cuidado com as coisas que fazes. Um dia vais acordar e não vais ter nada além de arrependimentos."

Classificação: 4 de 5*



 
 

3 comentários:

  1. Ainda bem que gostaste fofi ^_^

    ResponderEliminar
  2. Fico feliz por teres gostado :) Excelente opinião já agora ;)

    ResponderEliminar