Opinião Livro

Pedaços de Ternura, Dorothy Koomson



Título Original: Marshmallow for Breakfast
Autor: Dorothy Koomson
Editora: Porto Editora
Páginas: 448
ISBN: 978-972-0-04159-3

Sinopse

Poderá um estranho curar o seu coração?

Kendra Tamale regressa a Inglaterra, fugindo de velhas mágoas e em busca de um novo começo. Conhece Kyle, pai de duas crianças e separado, de quem se aproxima, contra todas as suas expectativas.

Então, um terrível encontro com o passado obriga-a a enfrentar os seus fantasmas. Não consegue dormir, é despedida e a sua relação com Kyle e as crianças fica debilitada. A única forma de remediar a situação é confessar o erro terrível que cometeu há muitos anos atrás - algo que prometeu nunca fazer...




Dorothy Koomson tem o poder de focar em alguns livros temas actuais e inquietantes. Este livro não é excepção. Aborda tanto o alcoolismo, o divórcio, violação, bem como a maneira como as crianças são retratadas durante a separação dos pais. E depois de saber que este livro não é tão acarinhado como outros dela, fiquei reticente. Mas acabei por adorá-lo.

Kendra Tamale regressa a Inglaterra depois de ter vivido alguns anos na Austrália. Foi lá que tentou normalizar a sua vida dos traumas que a levaram a fugir até ali. Como se não basta-se o facto de viver agarrada a aspectos passados, conhece Will, um homem casado, por quem se apaixona. Não é fácil este amor e apesar de correspondido, as consequências não se fazem esperar e, mais uma vez, vê-se forçada a fugir ao único amor que conheceu.


Já em Inglaterra tenta recomeçar a sua vida. Volta para o antigo emprego e de repente começa a fazer parte da família do senhorio. Sem querer envolver-se demais com Kyle e os gémeos, Summer e Jaxon, e criar uma ligação a estes, tenta viver a sua vida para além deles. Mas depressa percebe que começa a ser um elemento necessário a esta família despedaçada. Se ela ajuda Kyle a lidar com os filhos, estes reciprocamente começam a tratá-la como uma segunda mãe. Já Kendra consegue de alguma forma libertar-se das amarras do passado que tanto a fazem sofrer. No início não é fácil mas depois de conseguir confiar a 100% em Kyle conta-lhe a verdadeira razão de viver tão atormentada. 


O que me agradou neste livro foi o facto que quando algo traumático acontece na vida de qualquer um de nós, há maneiras bem diferentes de reagir a isso. Por isso, acho que a Dorothy captou muito bem a essência de uma mulher que prefere sofrer sozinha do que deixar alguém entrar no seu mundo. O facto de um casamento poder estilhaçar pela negação que é tanto feita pelo homem ou a mulher alcoólica. Viver em negação é pior do que admitir os problemas, pois assim, nunca se consegue perceber o alcance que o problema traz para a vida daqueles que o vivem. Pode destruir casamentos, a relação com os filhos e a maneira como estes vêem os pais, assim como, carreiras e a vida social. Por isso, adorei esta história. Não há sempre finais felizes, mas os finais que fazem as pessoas sentirem-se melhores consigo mesmas e encarar uma nova realidade. E haverá algo melhor do que aprender a gostar de nós mesmos e aceitarmo-nos como somos?!


Gosto quando a autora intercala aspectos passados da vida das personagens com aspectos do presente. É uma bela forma de mostrar ao leitor o porquê da personagem agir de certa maneira no tempo actual. Simplesmente mostra que para tudo o que fazem ou não fazem há uma explicação plausível.


Esta escritora é fantástica. É realmente capaz de me deixar de boca aberta com o rumo que toma às histórias. Sinceramente houve poucos livros que não consegui resistir e tive de recorrer ao final e este não foi excepção, estava a ver que ainda dava em doida. 
Ela consegue realmente agarrar o leitor e consegue gerar-lhe diversas emoções pelas personagens. Ora odiamos mas no momento seguinte já adoramos, e vice-versa. É uma história emotiva a que não se consegue ficar indiferente. 
Eu não fiquei, já li alguns livros dela [Bons Sonhos, Meu Amor; O Amor Está no Ar e Amor e Chocolate], mas este marcou-me bastante. 
Recomendo. Entretanto vou ler o tão afamado A Filha da Minha Melhor Amiga.

Citações:

"Nunca devemos subestimar a capacidade de um gesto de compreensão para nos fazer sentir verdadeiramente horríveis."

"Por vezes, penso que a melhor forma de esquecermos e de seguirmos em frente é experimentar. Vermos por nós próprios se vai resultar ou não. Sairmos magoados, se não resultar, e, depois, aprendermos a ultrapassar isso."
"A esperança só é útil se fizermos alguma coisa com ela. Ficarmos de braços cruzados, a esperar que algo resulte, e esperarmos que algo resulte enquanto fazemos tudo ao nosso alcance para nos assegurarmos de que isso acontece são duas coisas completamente distintas."

Classificação: 4 de 5*

 
 
 

3 comentários:

  1. Respostas
    1. 4 a contar com este.
      Já tinha lido o Bons Sonhos,Meu Amor; Amor e Chocolate e O Amor Está no Ar.
      Pelo que parece estes são os mais fracos dela, mas tb depende da perspectiva de cada um.
      O que achei mais fraco até agora foi O Amor esta no Ar.

      Bjs

      Eliminar
    2. O Amor está no Ar e este foram os que gostei menos, mas mesmo assim gostei :)

      Amor e Chocolate está no meu top :p

      Eliminar